Olá! Seja bem-vindo(a) ao blog INSANOS CAMINHOS. Aqui tu vais poder ler e conhecer os textos, poesias e versos livres que escrevo de 1998 até os dias de hoje. Desde já agradeço a tua visita e fiques a vontade, pois estes versos fazem parte de minha literatura, com isso não pertencem a mim e sim aos leitores. Grato!! Fábio Zündler.

Conjugar


Como disse Caetano: 
"Azul que é pura memória de algum lugar".

Prefiro olhos de mel,
mesmo que,
ora fortes como fel,
ora suaves como um vel.

Como digo sem engano:
Castanho é o verbo que tento conjugar.

Ao conjugar encontro meu lugar
envolto nos teus braços. 
Braços que me acalmam, 
me acalmam, 
acalmaMaria.



Mais um dia


Relógio avisou, 
Se não levantar,
Vai se atrasar.

Saiu cambaleando.

Levou seu corpo para trabalhar.
Na cabeça um torpor,
Ecoava a humilhação, 
Que sentira e escutara 
Exalar da boca do seu grande amor,

Devaneando.

Aos olhos do vizinho saiu satisfeito, 
erguido.
Ninguém percebia o que carregava no peito, 
contido.

Passou a vida cerceando palavras,
Sem perceber foi se extinguindo,
Deveras, 
Achou que estava construindo,
Porém aos poucos foi ruindo.

F.Zündler
10/2016

Palavras não mais ditas


Ao limpar a casa achei algumas palavras perdidas,
Vocábulos e termos que não mais usava,
não mais pronunciava.

Que triste, inclusive tinham verbos.
Não mais eram alimentadas,
Fracas e sem sentidos, ali jogadas.

Locuções, expressões,
Formavam frases, sentenças!

Desculpe,
aproveitei a primavera e
Joguei-as ao vento!

F.Zündler
10/2016

Trova para dois amigos


Venho nesta manhã cinzenta. 
Fiquei palavras a procurar, fiquei nessa a cismar.
Esses verso não precisavam nem rimar.
Venho para serviço nessa manhã derradeira.
Por que tenho certeza os vou encontrar.
Para mim gente boa não dá em parreira,
lá na labuta algumas amizades são verdadeira.

Cito algumas, 
por que outras não valem
coisa nenhuma.

Um anda de bengala com a perna num repucho.
Esse é cabra macho é lutador, ele faz trova de gaúcho.
Se eu tiver uma duvida pergunto sem sarandeio,
ele responde logo sem rodeio.

Tem um outro que é pensador é muito hilário.
Procuro sinônimos para definí-lo e não encontro, 
procuro no dicionário inteiro.
Mas sei, que o que mais gosta é de pensar no salário.
...
Ora, quem não gosta?

Também puderá, ele faz projeto, listas e a até proposta.
Nada mais justo no final mes, poder comprar o que gosta.
Junta dinheiro, não gasta um tustão,
esse é meu companheiro no chimarrão.

Poderia dizer que são meus colegas,
contudo estão sempre ali juntos comigo. 
Estamos juntos, ouvindo choramingo.

Por isso posso tomar a liberdade de chamá-los de AMIGOS.

Fábio Zündler
Dez 2015

Poesia classificada no Prêmio Poetize 2015 da Editora Vivara.

A poesia "Um dia estranho" foi classificada entre 2.420 poesias, juntamente com mais 249 poesias. Em breve será lançada em um livro coletânea do concurso, editada pela Editora Vivara.



Um dia estranho

Hoje logo cedo ao entrar no banho
junto com a água caiu uma percepção,
que se tratara de um dia estranho,
ainda não sei porque de tal concepção.

Quem sabe no romper da melancolía,
no transcorrer das horas, venha ter uma epifania.
Talvez nas palavras de uma jovem senhora,
que louca, joga besteiras da boca para fora.

É sempre assim, que picardia,
ainda acabo com essa mania,
de deixar a água que escorre sobre mim
misturar-se com os pensamentos e mudar meu dia.


Fábio Zündler

Poema penado



Hoje abri meu livro de poesias,
notei que aquele velho poema
não mais existia.

Até ontem estava grafado na página 3!
Eram versos moribundos
mas nunca deixei de lê-los.

Era como se fosse aquele ancião,
que todos respeitam por seus conhecimentos.
Versos antigos,
porem nunca esquecidos.

Preocupa é que tais versos
tenham partido se achando ultrapassados.
Fiz esses versos em uma noite fria de inspiração,
reconheço que eram mal-acabados.

Foi sem se despedir...
Não deixou uma estrofe se quer,
sem rastros de recitação.

Será que existe céu de poesias
ou virou um poema penado?

F. Zündler
3.11.2015

Bom p'ra morrer!



Julho, é um bom mês para morrer!
Pensando bem sempre que repouso,
meus pés endurecem de tão frios.
Melhor esperar aquecer.

Janeiro sim, é um bom mês para morrer!

Refletindo bem, é pior.
Sempre que deito começo a suar.

Melhor esperar,

melhor esquecer.

F.Zundler
6/15

imprevisibilidade a anunciação


"A imprevisibilidade da morte 
é o que mais me assusta na vida,
ainda assim prefiro-a  
do que tê-la anunciada."

F. Zündler 4/2015

Amargo



















Um novo alvorecer surge na cidade,
que outrora brotava umidade.
Mofadas paredes descascadas,
imaginava-me singrar em cascatas.

A tarde compassível,
nem sempre compreensível,
encardia o horizonte.
Enquanto sorvia o amargo,
procurava algum sentido
no que parecia perdido,
porem não comedido.

Meu último mate foi - enternecido,
como poesia incompleta, sem Rimas.
Meu último mate foi - encarecido com lágRimas.

Fábio
03/2015

inquietude


É puro lamento
o habitué dos pensamentos.
A saudade já é pertencimento.
A alma permeia pela inquietude.
Regozijo-me em tudo que é rude,
enquanto habito tudo aquilo que aludo.

Fábio Zundler
02/2015

Portos e Passagens


As pessoas podem ser como navíos,
eu me transmorfo em porto,
ora alegre, ora triste,
assim prefiro.

Atraco barcos que estão de passagem,
e ao seguir seus destinos
querendo ou não,
deixam presentes que ficarão passados,
mas nem por isso deixarão de serem lembrados.

Eu os guardo,
Eu os guardo para meus momentos nostálgicos.

12/2014 


Um dia estranho


Hoje logo cedo ao entrar no banho
junto com a água caiu uma percepção,
que se tratara de um dia estranho,
ainda não sei porque de tal concepção.

Quem sabe no romper da melancolía,
no transcorrer das horas, venha ter uma epifania.
Talvez nas palavras de uma jovem senhora,
que louca, joga besteiras da boca para fora.

É sempre assim, que picardia,
ainda acabo com essa mania,
de deixar a água que escorre sobre mim
misturar-se com os pensamentos e mudar meu dia.

Ao amigo Alesandro pelo desafío dado.
Fábio Zündler
4/12/2014 10:36

Maldita


Tinha me livrado dela.
Parece que foi ontem.
Praticamente tinha expulsado ela de dentro de mim.
Ela voltou querendo me destruir.
Ela chega a provocar arrepios.
Maldita.
Maldita Gripe!!!!

A tensão aumenta a atenção!

                               a a atenção!"
                             t
                           n
                         e
                      m
                    u
"A tensão a

SemiMorta


Nada importa,
se quem importa não se importa.

Absorta em pensamentos,
pois amor exporta.

Comporta tantos sentimentos,
lágrimas já não suporta.

Insiste no afeto natimorto,
nada conforta, se sente semimorta.

Não totalmente,
Sente o fluxo na aorta,
quando alguém bate a sua porta.

Fábio
0ut 2014

Passado


Fascinante busca do passado para o presente, 
se ainda não através da viajem no tempo, 
façamos pelas fotografias, 
admirar instantes de outrem, pseudo-vivenciar. 
Momentos perpetuados e petrificados
para “quase” todo o sempre, 
nada é eterno na sua originalidade.
Nostalgia, 
pudesse eu, escolher um momento para reviver,
nem que fosse pelo simples tempo do flash.

A cada retrato um bloco de vida armazenado!

Fábio Zündler

Viajem


Hoje nada tem aquele gostinho de vida,
toda letra de canção é desprovida e
os caminhos do pensamento são só de ida.

Não tenho passagem,
Não tenho bagagem,
Não tenho coragem.

Parto do inverno
chego sei lá Deus onde,
amém.

Se fiz por merecer,
talvez chego até o inferno.
Pode ser que vá um pouco mais,
além.

A viajem é clandestina,
no último vagão,
trilhos tortuosos,
extrema escuridão.
Vou de trem.

Fábio Zündler
08/2014

Leia meus versos!


As poesias que escrevi coloquei juntas
com as do Quintana na prateleira.
Não que eu seja digno de tanto,
mas só assim, 
pode ser que por um descuido, leias.
Então entenderás tudo o que permeia o meu canto.

Não me leve a mal, que perdi o encanto.
Alimentei ilusão, ganhei desencanto,
e no entanto,
se apenas tivesses lido meus versos,
teria evitado agora teus prantos.

Fábio Zündler
7/2014

Apesar do sol


Não é a tarde linda lá fora
que irá fazer esquecer que você se foi mundo afora.
Esse sol não entra madrugada adentro,
por isso continuo só chuva por dentro.
Se serve para secar a umidade lá fora,
é indiferente com minhas lágrimas aqui dentro.

Fábio Zündler
7/2014

Aposta


O destino vai contra qualquer estatística,
a esperança não entende de matemática,
a existência desconsidera toda a problemática
e nem tudo se apoia na justiça.

Ainda que sejam muitas as possibilidades negativas,
considero as poucas possibilidades positivas 
uma prerrogativa.
Nesse jogo da vida aposto minhas fichas.

Fábio Zündler
7/2014

Me pede


Me pede para fazer um poema, uma poesia, mas não uma monografia, a meu ver tão fria.

Fábio Zündler
6/2014

Por inteiro


Sou todo sedimento
Sou todo sentimento
Sou todo sem
Sou todo sentido
Sou todo partido
Sou todo perdido
Sou todo desalento
Sou todo aposento
Sou todo réu
Sou todo céu
Sou todo seu

Fabio Zündler
6/2014

Me desconsidere, hoje.


Hoje me desconsidere,
o tempo amanheceu cinza e chuvoso,
lá na rua nem tem aquele alvoroço.

Hoje me desconsidere,
a manhã passou com senso de nostalgia,
procurando um ponto certo dessa Nevralgia.

Hoje me desconsidere,
é dia que a poesia tem seu ciclo,
morre no final do dia.
A esta hora, ainda é um jovem moço,
Note, já é hora do almoço.

Fábio Zündler
6/2014

Haga caso omiso de mí hoy. (Versão)


Hoy haga caso omiso de mí,
El tiempo amaneció gris y lluvioso,
ni hay conmoción en la calle.

Hoy haga caso omiso de mí,
La mañana comenzó con un sentido de la nostalgia,
buscando un cierto punto para esta neuralgia.

Hoy haga caso omiso de mí,
Es el día que la poesía tiene su ciclo,
muere al final del día.
A esta hora, todavía es un muchacho,
Mira, es la hora del almuerzo.

Fábio Zündler

Chafariz das poesias


No chafariz dormiam as Poesias. 
Ao invés de água, letras jorravam.
Quem sabe o menino que por perto chegou as despertara.
O pequeno mal sabia, que lá de cima, 3 meninas o observavam.
Quase num encantamento, só tinha olhos para as palavras, 
que caiam em ritmos, versos e estrofes.
Irrompiam em métricas que hoje não mais se vê, 
pareciam de épocas de passadas.

Fábio Zündler

Insanos Caminhos


Insisto em andar pelo mesmo caminho,
Um misto de sentimentos carrego comigo.
A neblina fria lembra que ainda estou vivo,
A pele arrepiada provoca lembranças,
Molhada.
Resisto em entrar nessa dança,
Onde quem dança é quem ainda tem confiança.
A Esperança não é mais uma criança,
Insiste em esperar um destino mais dançante.
Nesses descompassos sigo dando passos e
A poesia passa por mim na forma de um menino,
Que sentado aguarda sua mãe tocar violino,
Na calçada.
Um trabalhador, perturba as notas da canção.
É assim no destino,
A vida não aceita a poesia,
A razão atrapalha o coração.
O sino do relógio bate no desacerto
Das saudades do passado.

Fábio Zündler
6/2014

Solidão II


Te ví pálida e nua, pairava acima de mim.
Num momento de pretensão sentí que me observava
e então numa oração de súplica pedí que me tirasse daqui.
Estando contigo deve ser bem melhor,
tudo por aqui anda de mau a pior.
A nostalgia é tão vazia e a solidão é bem melhor.

Fábio Zündler

A despedida


            A despedida 
Não 
                                  É
                                       Um fim,
                                  E
Sim 
                                  O início de 
Um novo caminho!

Fábio Zündler

Lua


Fiquei imaginando os momentos
em que me observava.
A nostalgia é tão vazia,
a solidão é bem melhor
e por isso que quero estar
ao seu redor.
Vi você assim,
lá na atmosfera observando a terra,
tão pálida olhando para mim,
ti peço, tire-me daqui
estando contigo deve ser bem melhor
tudo por aqui anda de mau a pior.

Fábio Zündler

Razão!


“No Acesso a níveis mais profundos de compreensão,
peças vão se encaixando,
se articulando e
fazendo razão!”

Fábio Zündler

Imaginação


Eu e meu violão aqui no chão é solidão,
você aqui no quarto imaginação.
você  onde está?
O que será que vai fazer?
Diga se vai comigo ficar,
porque posso tentar te esquecer
e outra vez me apaixonar,
sei que com alguém vou me casar
e será que é com você?
Quero saber,
o tempo certo vai chegar e acontecer.
Depois de tudo entre nós,
não acredito que você já esqueceu,
já me esqueceu!
Eu e meu violão aqui no chão é solidão,
você aqui no quarto imaginação.
A minha vida você levou
e sentimentos despedaçou,
o quarto escuro e um chão frio é onde estou,
é o que restou do nosso amor.
Hoje estou mudado
e sem um grande amor,
um grande amor que me deixou.
Eu e meu violão aqui no chão é solidão,
você aqui no quarto imaginação.

Fábio Zündler

Procurando


A muito tempo procuro,
procuro alguém que não encontro,
alguém que diga para mim
com um sorriso tudo o que sente.
Abro a porta de meu quarto,
chamo...
ninguém responde,
só tem vazio e a escuridão,
não tem problema estou acostumado com isso,
trancado no meu quarto eu senti,
senti como vive um ermitão
que contempla as planícies.
Eu aqui sozinho
contemplo o vazio,
que entra em minha mente
toma conta de meu corpo.
Tento ser mais forte que tudo, mas não consigo.
Sou apenas uma carcaça humana
perdida encima de uma cama.
“Estou aberto, ninguém quer entrar
para tentar ajudar.”
Espero que alguém entre no vazio
e preencha com amor,
porque é a única coisa que poderá ma acordar,
quem sabe até um simples e belo sorriso
ao me encontrar.

Fábio Zündler

Minha garota


Ela é uma pequena garota perdida
em seu pequeno mundo,
ela olha para todos
mas não olha para mim,
ela enxerga pássaros, enxerga anjos,
enxerga todos
mas não olha para mim.
Essa garota muda meu dia,
domina minha mente,
quando passa e não me vê
enlouqueço.
Todos já sabem
ela vira minha cabeça..
Quando olho em seus olhos
ela é simplesmente especial.
Vejo ela vindo em minha direção,
meu corpo treme de emoção,
logo ela desvia sua atenção
e isso fere meu coração.
Espero o tempo passar,
só para ver se ela vai olhar,
para mim ela é tudo
para ela eu não sou nada.,
espero que um dia
ela seja a minha amada.
Eu quero que ela enxergue os pássaros,
que enxergue os anjos
e simplesmente olhe para mim,
farei ela ser grande
e se encontrar em um grande mundo.
farei ela não olhar para ninguém,
somente para mim,
então terei a ilusão de
ter sido dono de alguém.

Fábio Zündler

Quase certeza


Teus olhos estranhos no espelho
parecem observar um tempo perdido,
um amor impossivel de voltar,
uma noite clara parece me tentar
mas agora vou deitar, para cedo despertar.
Está bem, admito
acordei na beira do mar.
Eu não te amo,
nunca te amei,
tenho quase certeza disso.
Eu não te amo,
nunca mais te amarei,
quase tenho essa certeza!

Fábio Zündler

Simples Flor


De que adianta estar sobre
um céu azul e um dia verde,
se eu estou entre armas e rosas
procurando uma simples flor ,
que saiba me enxergar seja como for.

Quero me abrir para ela,
mostrar quem realmente sou,
um homem em busca do verdadeiro amor,
com sentimentos acorrentados
que só se abrem com uma flor.

Espero que esta flor
não tenha sido colhida
por quem não a mereça.
Quem a colher cuide como a própria vida,
pois é o meu amor
e tenho certeza
Um dia vai ser
minha simples flor.

Fábio Zündler

Olhos ao luar


“ Olhos ao luar penetram
fundo na minha alma como
se algo quisesse arrancar,
aqui nada tem,
tudo se usou,
tudo se foi,
só as trevas restou
e uma pedra
que alguém muito insatisfeito
a atirou”

Fábio Zündler

Cidade Velha


Estamos seguindo sem destino certo,
não pare o carro, estamos sem documentos.
Pretendemos dar uma volta na cidade velha,
onde  a lei e tudo mais é obscuro,
lá tudo  acontece, nada se vê.
É onde nos sentimos seguro,
todos são iguais,
não somos tratados como animais
desde que sigamos a lei da selva.
O rei é alguém que ruge, que late, que grita,
mas não sabe o que quer.
Somente ele tem o poder de poder nos destruir,
mesmo assim ainda pretendemos dar voltas na cidade velha,
onde as mulheres são quentes e os homens não tem vez.

Fábio Zündler

De encontro ao inferno


Eu saio chapado pela cidade

pego meu carro e vou na contra mão,
vejo a morte vindo em minha direção,
pede carona, entra em meu carro
e bota a foice em meu coração.
Ela grita em silencio , um mau-humor
violento que penetra direto em minha mente.
Para dirigir está uma merda
nessa cidade iluminada,
meus olhos estão roxo,
minhas pernas blocos de pedra,
estou definhando,
sinto a besta me chamando,
seu enxofre invadindo meus pulmões.
Minha liberdade não tenho mais,
estou preso nas ferragens do meu opalão,
estou me debatendo,
enfim, a morte finca a foice em meu coração.
Está chovendo sobre mim,
isso não faz diferença
agora sou uma cria do demônio ,
não tenho memória,
estou vivendo em uma caverna mental
jogando fora minhas emoções
em um solene inferno,
onde o DNA infectado com o sangue bestial
esta nas paredes do purgatório.

Fábio Zündler

Esperando alguém


Um dia me perguntei,
se vou ter alguém,
por quê não pode ser agora
será que todos tem a sua hora?
Tenho que saber esperar
minha vez, sei, vai chegar
mas parado eu não posso ficar.
Vou vivendo mesmo assim,
não posso ter  pena de mim.
Com outro ela deve estar,
mas só eu posso fazer ela gozar.
Porque sozinho não da para ficar,
parado não posso ficar.
Vou tentar até o fim,
conseguir ela para mim,
nem que para isso tenha que matar.

Fábio Zündler

Restos II


Não sou mais compreendido,
rastejo pelos caminhos do perigo, 
sinto ódio e me deparo 
diante de teus olhos.
Olhos de uma criatura da noite
que sobrevoa minha cabeça a todo momento,
será você  a besta que 
atormenta meus pensamentos?

Me pede reflexão,
eu ofereço solidão,
é o que restou no meu coração,
ainda posso  dar desprezo
e um pouco de incompreensão.

Fábio Zündler

Nos teus braços


Eu te admiro,
te tenho,
te desejo em estranhos momentos,
te percebo num instante
e possuo em outro.
Teu cheiro no meu corpo,
teu corpo no meu pensamento.
Escultura em perfeito movimento.
Me leva nas nuvens
e caio direto no calor do teu corpo.
A insanidade reina
e amanheço envolto nos teus braços,
braços que me acalmam,
que me acalmam,
acalmam.

Fábio Zündler

Fragmentos Guardados


Eu não lembro mais
de coisas que eu fiz
mas sei que estão guardadas
dentro de mim.
Fragmentos de memórias
é o que sobrou,
por que esse céu azul?
se tempestade é o que ficou.
Tudo em minha vida é difícil de entender,
quando vem o sol,
o vento sopra para valer.
Não prometa, o que disser
você nunca vai fazer,
Mentir: uma opção, um dia a
solidão vai te receber;
Se calar: quem vai te ajudar?

Fábio Zündler

Vivendo


Amo alguém tão diferente,
ela faz o que eu faço,
me diz o que quero ouvir.
É isso que eu queria para mim?
A noite chega e com ela paz
ou será solidão?
todos são iguais,
uns dias amam,
outros choram.
A vida chama a morte,
para uns o alívio imediato
para outros o desespero prolongado.
“Tragam-me a rosa negra,
que com ela serei mais feliz.”
Por que prometo amor
e ganho compaixão?
Eu sempre tentei com que meu passado fosse o melhor.
A quem poderei agradecer pelo meu futuro?
Momentos e caminhos chegam,
faço silencio
...
e ouço vozes que dizem:
AINDA NÃO!
Qual será minha hora certa?
 me diga,
                me fale!

Fábio Zündler

Prisioneiro


Tento dar sentido e forma
ao mundo com meu pensamento,
quem sabe um rumo
com meu olhar.

Sobrevivo a naufrágios
e explôdo em gélidos estilhaços,
formo minha carapaça,
mas de nada adianta,
às vezes preciso sair dela.

Em algum lugar, alguma coisa está escrita,
entre cálice e talvez água benta,
isso não me importa,
já me sinto cansado.

Sei que nascemos meros plebeus
e morremos coroados,
morremos deteriorados.

Me sinto fantoche de corpo e alma,
preciso me libertar.
Não quero me libertar!

Fábio Zündler